MOVIMENTO SUL É O MEU PAÍS

O CANTO DA SEREIA DA PROIBIÇÃO DA COBRANÇA DE BAGAGEM – VOXbrasilis

02/06/2019

Artigo de Milton Andrade, vice-presidente da CDL   Se você é a favor de que pobres andem de avião, deveria ser contra a proibição da cobrança de bagagens pelas companhias aéreas. Muita gente comemorou a volta da proibição, aprovada pelo Congresso (falta o presidente sancionar), mas a verdade é que é um retrocesso econômico, compartilhado com apenas quatro países do mundo: Venezuela, Rússia, México e China. Coincidentemente, nenhum deles possui companhias aéreas low-cost, ou de baixo custo. Como o próprio nome diz, essas empresas cobram preços baixíssimos por suas passagens. Baixíssimos mesmo. Estamos falando de passagens a partir de 15 ou 20 libras, um valor que, mesmo se convertermos em reais, continua bem abaixo do que estamos acostumados a pagar por aqui. E como elas conseguem essa mágica? Entre outras coisas, cobrando separado por serviços assessórios, como o despacho de malas, por exemplo. E isso é o de menos. Há uma companhia low-cost irlandesa que estuda cobrar à parte até pelo uso do banheiro! Claro que esse é um caso extremo, mas há inúmeras outras coisas que podem ser cobradas à parte, e não embutidas no preço, como alimentação a bordo, fones de ouvido, travesseiros, cobertores, assentos mais bem localizados…Absurdo? Não, se você considerar que, ao contrário do que pensam a maioria dos parlamentares, nada disso sai de graça quando você compra uma passagem no Brasil. O valor está lá, e você paga, usufruindo ou não do serviço. Aí vem aquele argumento: “Ah, mas o preço da passagem não caiu depois que liberaram a cobrança no Brasil”. Tem certeza que não? Você isolou a cobrança de todos os outros fatores que também interferem no preço da passagem? Preço do combustível, salários, cotação do dólar? A relação oferta X demanda permaneceu igual no período?Com certeza, você não fez essa análise antes de concluir que o preço não caiu. Nem você e nem os deputados que votaram a favor do retorno da proibição. Mas não se preocupe, o economista Bruno César Mariano Resende fez, em sua tese de mestrado na FGV, sobre as Estimativas do Efeito da Taxa de Despacho de Bagagem. E o que ele concluiu foi que, isolados os outros fatores, o valor da tarifa caiu em torno de R$ 15.“Ah, mas esse valor é muito menor que o preço cobrado pelos despachos de bagagem. Estamos no lucro”. Bom, aí entram dois fatores. O primeiro é que é menor porque está sendo rateado por todos, os que despacham e os que não despacham suas malas.  Da outra forma, apenas os que despacham têm que arcar com os custos. É claro que se você rachar sua conta do supermercado com seus vizinhos, cada um vai pagar um valor menor do que o que você paga atualmente, mas isso não torna correto que seus vizinhos sejam obrigados a rachar as suas compras do mês com você. O segundo e principal fator é que a aviação no Brasil não precisa ter uma política agressiva de descontos porque não tem concorrência. Quando se está num oligopólio (o mesmo que temos no setor bancário, e por isso os altos juros), os clientes não têm muita […]

Read more